"Escrever é usar as palavras que se guardaram: se tu falares de mais, já não escreves, porque não te resta nada para dizer." [M.S.T.]

17.12.08

Como distingues num beijo quando estás apaixonado e quando não estás?


Respondeste-me 'quando dói'. E tu disseste-me ' pela respiração'. Outro alguém concluiu com 'apenas o sinto'...

Junta-se tudo e sai isto...

'Quando sentires o peito magoado de ansiedade e desejo. Quando já não souberes lidar com as palavras, porque aquilo que sentes te transcende. Quando o silêncio e a escuridão não forem incomodativos, nem embaraçosos, então podes saber que é algo a sério. Ai os beijos sabem a rebeldia. Sabem a força, como alguém determinado a esmurrar uma parede, mesmo que não haja razão aparente para tal. Mas também sabem a ternura e a carinho... É uma mistura agri-doce de sensações, inexplicável, onde há como que uma luta entre algo selvagem e algo doce. Por isso, sim, sabem a açúcar. Mas também sabem a pimenta. E têm sempre um objectivo: mudarmo-nos, libertarmo-nos. Desprendermo-nos e amarrarmo-nos ainda mais...'

2 comentários:

  1. beijand descobre-se se esta apaixondo ou n...por iso beija mt,retira o sentimento mais puro k obtivest e k mexe c o interior,dps compara,filtra...bj

    ResponderEliminar
  2. Para anónimo, com um beijo:

    'gosto muito de beijos.
    pequenos, grandes, quentes, continuados, entrecortados, poucos, muitos,
    longos, curtos, com e sem línguas, com e sem dentes. gosto de brincar com a língua;
    mais ainda com os lábios ; muito também com os dentes. gosto de beijar. À bruta.
    esclarecido este ponto, há outra manifestação de gostar que ainda mais gosto. O abraço.
    o abraço é mais, mas muito mais, pessoal e reservado que qualquer beijo.
    sempre o senti como a maior (e mais verdadeira) demonstração de carinho entre duas pessoas.
    pessoalmente, adoro fechar-me num abraço numa pessoa que goste.
    se gostar muito, gosto de lá me perder; de lá me esquecer que estou – ficando.
    o verdadeiro abraço – e é tão fácil de o sentir (e dar) – é impossível ser falso.
    quanto maior a proximidade de alguém em nós, mais gostamos de a abraçar.

    o abraço consegue criar um envolvimento de verdadeira segurança; de conforto.
    ao abraçar, a troca de energias processa-se em canal aberto.
    com tudo isto, afirmo que o abraço antecede o beijo.
    dois namorados (que gostem a sério um do outro), se não se vêem durante algum tempo,
    encontram-se num, muito antes do(s) beijo(s)...'

    ResponderEliminar

.