"Escrever é usar as palavras que se guardaram: se tu falares de mais, já não escreves, porque não te resta nada para dizer." [M.S.T.]

24.6.09

'Sempre que a razão e o coração se desencontrarem é aqui que nos encontramos. . .'

Este blogue encontra-se em remodelação interior.

Pedimos desculpa pelo incómodo.


23.6.09

Só tenho escrito merdas.

22.6.09

Sonhos de S. João


Sabes que não importa muito o que senti, o que sentes ou o que sentimos quando estamos juntos. Importa sim a maneira como fico completa ao teu lado. A maneira como me beijas docemente e como me irritas suavemente. Importa o carinho que te dedico e a maneira como tentas dizer que sou 'insuportável' de tantos miminhos que te ofereço. Não irei nunca cobrar nada. Só quero preservar estes momentos felizes a teu lado. Não importa se serão muitos ou mais nenhum.
Fica a leveza do ser feliz e a vontade imensa de te dizer que és especial para mim.

21.6.09


Hoje aprendi muitas coisas giras. E fui feliz docemente.

Amor Grego*


- 1ª Questão: O que somos?

- Somos amigos, mas o que prevalece não é a amizade

- Hum. . . Os gregos tinham 3 tipos de amor!
E visto que a amizade é uma manifestação de amor, e carinho. . .
Vou tentar enquadrar o nosso perfil com o amor grego lol



(*)Eros é amor apaixonado, com o desejo sensual E saudades. A palavra gregaerota significa amor. Embora eros seja inicialmente sentida por uma pessoa, com a contemplação torna-se uma apreciação da beleza dentro dessa pessoa, ou mesmo se torne apreciação da beleza própria. Eros ajuda a alma recordar conhecimento de beleza, e contribui para uma compreensão da verdade espiritual. Amantes e filósofos são todos inspirados a procurar pela verdade no eros. Algumas traduções o descrevem como "o amor do corpo".


Talvez até o tenhas enquadrado bem. Mas continuo sem perceber 'o que somos'.

19.6.09

"I hate the way you talk to me, and the way you cut your hair. I hate the way you drive my car. I hate it when you stare. I hate your big dumb combat boots, and the way you read my mind. I hate you so much it makes me sick; it even makes me rhyme. I hate it, I hate the way you're always right. I hate it when you lie. I hate it when you make me laugh, even worse when you make me cry. I hate it when you're not around, and the fact that you didn't call. But mostly I hate the way I don't hate you. Not even close, not even a little bit, not even at all."

Kat Stratford, 10 Things I Hate About You

16.6.09


Queria-vos aqui, pertinho de mim.

15.6.09

Desisti de te querer perto de mim

"Eu já amei um beijo. Não um beijo qualquer fruto de falsas convenções mas sim um beijo sincero… na origem, no destino, na boca, na pele, sincero em mim. Um beijo incomparável, um beijo imensurável, um beijo algo…palpável para além dos lábios, das bocas, para além dos limites do corpo. Um beijo que me abraçava, me procurava, me sorria, me seguia e me beijava. Eu já amei um beijo, um beijo que me amava..."

13.6.09

Queria descobrir-te. Estou cansada de jogar às escondidas, de perder no apanha-apanha. Queria descobrir-te. Dentro de mim.
Queria descobrir-me em ti.

PRINCESAS. MINHAS.

Para a Matilde. Para a Bárbara. Com Amor.

12.6.09

Voltei. Um bocado mimada.


"As raparigas (...) têm belezas perigosas, olhos verdes-impossíveis, daqueles em que os versos, desde o dia em que nascem, se põem a escrever-se sozinhos. Têm o ar de quem pertence a si própria. Andam de mãos nas ancas. Olham de frente. Pensam em tudo e dizem tudo o que pensam. Confiam, mas não dão confiança. Olho para as raparigas do meu país e acho-as bonitas e honradas, graciosas sem estarem para brincadeiras, bonitas sem serem belas, erguidas pelo nariz, seguras pelo queixo, aprumadas, mas sem vaidade. Acho-as verdadeiras. Acredito nelas. Gosto da vergonha delas, da maneira como coram quando se lhes fala e da maneira como podem puxar de um estalo ou de uma panela, quando se lhes falta ao respeito. Gosto das pequeninas, com o cabelo puxado atrás das orelhas (...)

Miguel Esteves Cardoso


Sou muito assim. E muito mais. Somos todas.

11.6.09

E depois vem o Excelentíssimo Senhor Doutor Director (O Antipático, Inacessível) perguntar: 'Onde é que arranjaram uma estagiária tão bonita?'

Se calhar o melhor é perguntar à minha mãe, não à Excelentíssima Senhora Doutora Orientadora.

Se sou assim tão bonita é graças a ela, por ela, igual a ela. Já alguma vez tinha dito que amo-mais-que-muitíssimo a minha mãe (também conhecida por 'mami' ou 'mimi')?

Pronto. Já disse. Amo-te-mais-que-infinito. Mamizinha.

8.6.09

Quero muitos brilhos nos olhos. Abraços capazes de nos fazerem perder no infinito.
Quero luz na alma e sorrisos no coração. Quero estrelas nos cabelos e ouvir a música (da) 'Paixão'.

Queria dizer muitas coisas. Todas muito boas.
Mas não há nada de bom para escrever.

2.6.09

De que cor são as tuas memórias?

"e de que cor são as tuas memórias??? As minhas são da cor da alegria, da cor da amizade, da cor do amor, da cor da compreensão, da cor da lealdade, da cor do carinho, da cor dos beijos, da cor dos abraços... todas estas cores criadas contigo e com eles... ;)"

Cecília Nunes
"De muitas cores. Todas GaRRiDas!"

"São a preto e branco com um toque de cor-de-rosa..."

Feiticeira

Preto e branco.Sépia.Negativo saturado.Fotos de um passado com cores de alma e ausências de contraste.Com brilhos variáveis,slow motion,mas ainda assim movimento de luz...
da cor dos meus abraços, da cor do mundo, da cor das estrelas e da cor das flores, todas. memórias de borboleta...

Post usando comentários dos amigos e leitores do blogue... Sujeito a actualizações...