"Escrever é usar as palavras que se guardaram: se tu falares de mais, já não escreves, porque não te resta nada para dizer." [M.S.T.]

31.1.10

:: Para fechar este primeiro-mês-mais-que-maravilhoso

"Sou fã de cor de rosa, de pessoas de bem com a vida, de girassóis e de tulipas, de dias de sol, muito sol, de finais de tarde na esplanada, com amigos e o cheiro do mar. Sou fã de pessoas optimistas, serenas e anti-impossíveis, de quem ama música e de quem partilha o que sabe e o que tem. Sou fã do amor e viciada na paixão. Admiro quem alguma vez se apaixonou à primeira vista e sou fã de quem acredita no amor para sempre.
Sou fã de coisas simples, de bolo de chocolate, de amoras e framboesas, de Ben Harper, de correr atrás de borboletas, de rir até doer a barriga, do amor do Mr. Darcy pela Bridget Jones e de banana com queijo.
Sou fã de festivais de Verão, de Super Bock, da Póvoa, do meu amigo surfista, do amor incondicional à família e de passar a noite acordada a contar estrelas.

Sou fã desta vida que me deram e que eu, do fundo do coração, agradeço todos os dias."

Palavras dela, adaptado para mim!

:: Em dias cheios, sentimentos não vazios

E foi assim que descobri que todas as coisas continuam para sempre, como um rio que corre ininterruptamente para o mar, por mais que façam para o deter. Sabes, quem não acredita em Deus, acredita nestas coisas, que tem como evidentes. Acredita na eternidade das pedras e não na dos sentimentos; acredita na integridade da água, do vento, das estrelas. Eu acredito na continuidade das coisas que amamos, acredito que para sempre ouviremos o som da água do rio onde tantas vezes mergulhámos a cara, para sempre passaremos pela sombra da árvore onde tantas vezes parámos, para sempre seremos a brisa que entra e passeia pela casa, para sempre deslizaremos através do silêncio das noites quietas em que tantas vezes olhámos o céu e interrogamos o seu sentido. Nisto eu acredito: na verdade destas coisas sem princípio nem fim, na verdade dos sentimentos nunca traídos. (…)Porque nada é mais íntimo e mais indestrutível do que o silêncio partilhado. Tudo o resto são apenas palavras, sons, frases, coisas que qualquer um pode dizer. (...) Mas o silêncio fica porque nunca mente, porque é tão íntimo que não pode ser representado, é tão envolvente que não pode ser rasgado. (...) Nunca devemos amar em silêncio, nada é mais perigoso do que dividir com outrem os pensamentos vividos em silêncio. Um amor feliz precisa do turbilhão das palavras, das frases aparentemente inúteis e sem sentido, precisa de adjectivos, de elogios, do ruído das banalidades. Não há felicidade que não seja tantas vezes fútil, tantas vezes inútil.
Não Te Deixarei Morrer, David Crockett, de Miguel Sousa Tavares

30.1.10

:: Tudo Por Um Beijo

Eu não sei bem quem tu és
Sei que gosto dos teus pés
Do teu olhar atrevido

Tu baralhas-me a razão
Invades-me o coração
E eu ando um pouco perdido

Adivinha onde eu cheguei
Desde o tempo em que roubei a tua privacidade
Fiz de ti lírio quebrado
Fera de gesto acossado, vendi a tua ansiedade

E agora que estamos sós, vamos ser apenas nós
Dar a volta ao argumento
Vamos fugir em segredo
Sumir por entre o enredo, soltar o cabelo ao vento

Troco tudo por um beijo
Mais vale morder um desejo
Que ter toda a fama do mundo

Troco tudo por um beijo
Mais vale morder um desejo
Que todo o dinheiro de mundo


29.1.10

:: Hoje

AQUI: FAZER-TE
Foder amor.

Nem foder
nem fazer amor –
foder amor

Foder-te como a mais puta das putas
e amar-te como a mais única das amadas.
Foder amor.


Chamar-te puta e dizer-te amo-te,
espancar-te o sexo e afagar-te o beijo.
Ser ...o doce e a fera -
a treva e o raio.

Foder amor.

E só assim, entre um grito e um afago, foder-te com amor:
fazer-te amor.


:: Ó Príncipe,

"Tu não complicas, não empreendes, não te assustas, não te baralhas, não te esqueces, e quando te perdes é de propósito. Imagino-te sempre como agora e tenho quase a certeza que nunca envelhecerás, porque guardas o segredo da felicidade, viver um dia atrás do outro, sem pedir mais ao mundo do que paz, alegria e, de preferência um bom champanhe. Ajudas-me a conjugar o verbo aceitar, ensinas-me a praticar o verbo esperar, e tens sempre paciência para mim. Levas-me a jantar fora quando estou triste e limpas-me as lágrimas quando imagino que o mundo vai acabar só porque não é tudo como quero e quando quero. E obrigas-me a ser feliz com o que tenho, em vez de viver com a cabeça sempre enfiada no futuro. És mais sábio do que eu e sabes muito bem que o futuro só existe na cabeça das pessoas complicadas, que gostam de tornar a própria existência difícil. Por isso, meu querido, peço-te que nunca percas essa capacidade de me sacudir e de me fazer rir, de me pôr a dançar e a dizer disparates, de despertar em mim uma miúda que nunca cresceu. É que eu não tive tanta sorte como tu: obrigaram-me a crescer muito depressa."
MRP

28.1.10

26.1.10

:: Nunca me esqueci de ti ou saudades de tocares isto para mim

Bato a porta devagar,
Olho só mais uma vez
Como é tão bonita esta avenida...
É o cais. Flor do cais:  Águas mansas e a nudez  Frágil como as asas de uma vida  
 É o riso, é a lágrima  A expressão incontrolada
  Não podia ser de outra maneira  É a sorte, é a sina  Uma mão cheia de nada  E o mundo à cabeceira   
Mas nunca  Me esqueci de ti  Nao nunca*  Me esqueci de ti*  Eu nunca*  Me esqueci de ti * 
 Nao nunca*  Me esqueci de ti *  
 Tudo muda, tudo parte  Tudo tem o seu avesso.  Frágil a memória da paixão...  É a lua. Fim da tarde 
 É a brisa onde adormeço  Quente como a tua mão 
  Mas nunca  Me esqueci de ti  Nao nunca*  Me esqueci de ti*  Nao nunca*  Me esqueci de ti * 
 Eu nunca*  Me esqueci de ti *   
Naaaaao naaaaaao naaaaaaaaoo naaaaoooo...  Nunca me esqueci de ti 

25.1.10

:: Yes, I Do.

Se há semanas decisivas na vida e para a vida esta é uma delas.
'Sim, aceito', deixa de ter uma conexão menor para me transportar para um lugar onde sonhei chegar toda uma vida.
Só sei que quero ser feliz, e se o caminho começa aqui, então 'sim, aceito'. Com um sorriso nos lábios e muita certeza no coração.
Semana de emoções-mais-que-intensas. Yes, You Know. And Yes, I Do.

24.1.10

:: Tenho Vida

Tenho vivido tudo intensamente. A vida e o mundo.
Tenho o coração quente e os planos desalinhados. Tenho sorrisos novos e reconquistados os antigos.
Tenho uma espécie de felicidade branca e calma nos ombros.
Havia tanto para dizer, tanto mais que queria entender, ainda mais coisas que queria que a vida fosse capaz de me explicar. Mas rio de tudo isso.
Do insano ao normal deve haver alguma palavra que dê sentido à falta de sentido que nos une.
Mas não interessa. Um dia de cada vez. E que cada hora e cada segundo continuem inundados de vida, de felicidade, de certeza e do aroma dos nossos sorrisos.

23.1.10

:: Tinha muitas (infitas, pode ser?) saudades de acordar aqui

Ao teu lado.

:: Fim de Capítulo

Ano Novo, Vida Nova!!! Parece só mais um cliché, mas hoje faz todo o sentido!

Só mais um. . . 'mais vale tarde, que nunca' xD

19.1.10

:: It's All About Happiness

Tenho um amigo novo. Há sempre um novo amigo na minha vida. Mas este é especial. É verdadeiro, é simples. Tenho um novo amigo. Há sempre um novo amigo que nos liga mesmo que sejam 5 da manhã porque 'os amigos não dormem' dizia-me ele. Tenho um novo amigo. Há sempre um novo amigo que me lembra que a vida faz mais sentido se a vivermos juntos.
O melhor (ou pior) do meu novo amigo é que ele me faz lembrar que eu não devia ter crescido nunca. Que alguém ou que o mundo, me destruiu a ingenuidade, o sorriso de miúda e os pensamentos de teen.

Ele que me perdoe este amontoado de palavras cansadas. Sei que resumiria tudo num 'bora lá ser feliz, miúuudaaa!!'

18.1.10

:: Ao Meu Cúmplice, Para o Meu Melhor Amigo

Antes de entrares dentro de mim pronunciava sempre um 'diz-me'. Entre a ansiedade de te ter e a vontade de te amar, precisava de ouvir um 'gosto de ti'. Como se só assim as coisas fizessem sentido, pelo pouco sentido que o nosso amor possa ter feito.
Um 'gosto de ti' antes do amor ser feito sabia melhor do que qualquer 'amo-te' que alguma vez possas ter pronunciado. Aprendi isso contigo.
Gosto de ti. Com um ponto final. Como se nada mais pudesse ser acrescentado, tripartido ou até multiplicado.
Antes era um 'gosto de ti', um 'quero-te'. Dentro de mim e na minha vida.
Continuas na minha vida e dentro do meu coração. E 'gosto de ti'.
Pode ser assim que começam as histórias-de-amizade-para-sempre.

:: Todos Amamos Tanto

"Eu amei aquele homem. Prometemos tanta coisa um ao outro. As promessas… são para se cumprir."

Sangue no Pescoço do Gato, Rainer Werner Fassbinder

13.1.10

:: Desiludiste-me

Gostei de uma pessoa que não existe.
Falsidade. Maldade. Ambição.
Pouco mais posso dizer. Desilusões. Facto.
O amor além de cego é ridículo.
Este é um post pra-lá de inundado em lágrimas.

12.1.10

:: Aceitar é (apenas) um verbo

Sinto-me confusa. Cada vez mais.
Lembro-me de todas as coisas boas do início da nossa história de amor. Pode ter sido curta. Mas foi muito intensa. Só nós sabemos como.
Por mais que queira seguir em frente, apagar-te do meu coração, não consigo. Pelo menos, enquanto não perceber estes porquês todos que me apertam o peito e me enrolam numa montanha russa de coisas que fazem chorar.

Mas depois, quando me acalmo, quando as lágrimas limpam a dor de te perder digo para mim mesma: "se ela o vai fazer mais feliz, se ele a deseja mais que a mim, se ele tem medo de começar de novo e se ela o ama mais que eu, então ele fez a escolha certa."
Aceito.

10.1.10

:: Saudades do silêncio do teu abraço

Seremos cúmplices para sempre. Mesmo que, um dia, chegue o último abraço.

7.1.10

:: Coisas d'Ele

quando revejo o meu melhor amigo e ele me abraça à bruta. quando oiço música.

quando vejo os filmes do Almodôvar. e do Tarantino. sempre no fim da primeira caipirinha e a pensar que a segunda vai chegar, sem eu ter que a pedir. no ultimo gole de um gin à beira-rio. o pôr-do-sol sobre o atlântico. o Tom Jobim a cantar. Seu Jorge a cantar. Lisa Ekdhal em palco. As meninas dos Nouvelle Vague.
a loja da Catarina Portas. peças de Design. Porto. Guarda. Coimbra. Paris, Roma e Barcelona. os jantares em casa dos amigos. os amigos em casa a jantar. estacionar pela primeira vez à porta. o picado nos discos de vinil. as remixes, versões e novos ritmos bossa-lounge-drum&bass. a pala de betão do Pavilhão de Portugal. o arquitecto Siza Vieira. Pedro & Inês pela CNB. sexo com amor. a ponta dos teus dedos, onde? onde quiseres. a tua cara quando estás quase a gozar e me amas imenso, mas não dizes nada, para não estragar.
o jogo Portugal vs Inglaterra. ouvir falar italiano. e britânico. os livros do Virgílio Ferreira. as crónicas do Miguel Esteves Cardoso. aquela pasta no D’Oliva. Bebel, Dé e Cazuza a cantarem Preciso Dizer que Te Amo.
pesado tudo isto acredito mesmo que Ele ande por aqui.
mas uns dias mais que outros, é verdade...

adaptado de mónica marques, na revista nós ‘religiosos’, i

5.1.10

:: Um 'Voltaste' Entre Lágrimas e Sorrisos

Disse-me 'Voltaste'. Não para ela. Mas para o mundo e para a vida. Soube que eu estava de novo limpa de alma e coração apenas com uma fotografia que ela própria tirou com as pálpebras.
Chorei depois deste 'voltaste' carinhoso e amigo. Mas não há mais nada para chorar. A vida sorri aqui. Sorrirá sempre.

4.1.10

:: Coisas Que Marcam. Momentos Que Ficam

As tulipas não murcharam durante a viagem. O teu sorriso ficou gravado na minha pele.

3.1.10

:: Quando gosto, gosto muito

Gosto de mãos.
Gosto de sentir frio.
Gosto da Bahia.
Gosto de café. Muito. Muito. Muito.
Gosto de cigarros e cigarrilhas.
Gosto de amar.
Gosto de me sentir amada.
Gosto da minha família.
Gosto da minha afilhada e da Babá. Mais que tudo no mundo.
Gosto de admirar a minha mãe.
Gosto de me perder.
Gosto de esplanadas.
Gosto de verniz vermelho.
Gosto de cabelos compridos.
Gosto dos meus amigos. O meu porto seguro.
Gosto dos meus novos amigos.
Gosto de beijos. Todos. Todos. Todos.
Gosto de quando me apaixonava por desconhecidos, apenas por segundos.
Gosto de saladas.
Gosto de ser princesa na vida de muita gente.
Gosto de música brasileira.
Gosto de abraços. Mais que muito, muito, muito.
Gosto do meu blogue.
Gosto de andar de comboio.
Gosto de piscar o olho.
Gosto de sorrir. De verdade.
Gosto de quando é Verão e tudo parece perfeito e quando é Inverno e volta tudo a ser mais perfeito ainda.
Gosto de ser conduzida.
Gosto de mimos. De dar mais do que receber.
Gosto de me entregar de corpo e alma.
Gosto quando dizem que sou única.
Gosto do Porto. Gosto da Póvoa. Gosto de Braga. Gosto da Guarda.
Gosto da vida. Gosto de a viver intensamente. De dar tudo.
Gosto de me apaixonar.
Gosto de mim.
Gosto.
Gosto de tantas coisas.
Gosto do teu beijo.
Gosto desta sensação.
Gosto de ser muito feliz.
Gosto de ti. Gosto de todos vocês. Gosto muito.

2.1.10

:: Amanheceu-me na Vida

E no momento em que o sol hoje nasceu, em que o mundo amanheceu, tu também foste luz.
Luz na minha vida.
Baralhaste-me os sentidos e beijaste-me a boca molhada da chuva.
Os beijos debaixo de chuva são os melhores do mundo. Já não sabiam ter avisado? =)
Este post está ressacado, mas estou feliz. Às 8h00 do primeiro dia do ano, a minha vida ganhou um novo rumo e estou novamente com aquele sorriso-de-miúda-mais feliz-do-mundo.
Às 8h00!
Há meses que tinha saudades deste sorriso. O meu verdadeiro sorriso.
És doce às 8h00 da manhã!
E este post está mesmo ressacado e eu muito feliz.

[Até já ponho smiles aqui!] =D