"Escrever é usar as palavras que se guardaram: se tu falares de mais, já não escreves, porque não te resta nada para dizer." [M.S.T.]

21.3.09


Um dia volto.

19.3.09


As histórias de amor deviam começar em jardins de inverno, depois do pôr-do-sol.

8.3.09


Quis muito esquecer-te. Acreditar que tinhas morrido em mim. Mas a ausência não esmorece o que sinto por ti. Mesmo sem saber o que é isto que sinto. Quis prosseguir. Continuar em frente. Sem caminhos pré-definidos. Nem objectivos para cumprir. Quis muito esquecer-te. Limpar-me do teu cheiro. Do teu sorriso. Das mãos que me percorriam e enebriavam.
Não temos falado. Mesmo sabendo que ESTÁS AÍ. Não falo. Mas tu também não me dás sinal de vida. Do sangue que percorrer o teu corpo a cada segundo. Queria ser esse sangue. Mas vejo que não sou nada. Sei que já não lês o que escrevo. Mas se um dia quiseres muito esquecer-me, diz-me. Para nos esquecermos juntos do que aconteceu. Assim pelo menos, estamos unidos em alguma coisa.
Com um abraço. Como aquele último. Lembras-te? Quando decidiste que não ias embora aquela noite. Aquela noite...

For S.

Light will shine for you, some day soon.

Although, what you did, touched me deeply, whatever it was.

If You Want to Have Me As One Truth, Don't Have Me At All

We danced too wild, and we sang too long, and we hugged too hard, and we kissed too sweet, and ...

7.3.09


'Se eu pudesse resumir-me, diria que sou irremediável'
[Clarice Lispector]

Já não sei como começam as histórias de amor.

Há uma canção, de amor ou não, que baila no meu coração.

6.3.09


Prendo o mundo dentro das mãos fechadas e o que cabe é pouco mas é tudo o que tenho.

saudades

ausências


silêncios

5.3.09


'Quando a chuva passar, quando o tempo abrir, abre a janela e veja eu sou sol, eu sou céu e mar, eu sou seu enfim...'


There are never enough I Love You's.

Photography by M.S. (2008)


Ensina-me a não andar com os pés no chão. Diz-me se é perigoso ser feliz.

[Beatriz, Chico Buarque]

É agora. Agora. Agora. Segue o teu caminho. É agora. Por aí. Aí mesmo.

'Não se consegue amar completamente senão na memória.'

Creio que foi o sorriso, sorriso foi quem abriu a porta.
Era um sorriso com muita luz lá dentro,
apetecia entrar nele, tirar a roupa, ficar nú dentro daquele sorriso.
Correr, navegar, morrer naquele sorriso.
[Eugénio de Andrade]

Eu moro num cenário, do lado imaginário. Eu entro e saio sempre quando estou a fim.

Há pessoas que se afastam para pensar. Umas voltam, outras nunca vão voltar.

'Não fugi.
Fui só às compras.
Não sei porque não fujo, talvez porque não posso.
Não sei porque volto.
Talvez porque precise.
Espera por mim que eu volto, enquanto puder.
Mas quando eu fugir, vai atrás de mim e faz-me sentir amada.'

[PAIXÃO, Pedro, Asfixia, Quetzal Editores, 2006, p.25]

"Estou à tua espera num sítio onde as palavras já não magoam... não ferem, não sobram nem faltam. Esse sítio existe."

Só nos separamos para nos voltarmos a encontrar.

1.3.09

O que queremos para Março?




Muito.Muito.Muito.*

It's beginning to feel a lot like spring.